sexta-feira, 10 de julho de 2009

Engenharia de Transportes e Vias de Comunicação na Cidade do Porto I





Nas grandes cidades, em virtude da elevada concentração de pessoas, equipamentos, veículos, etc., o espaço tem de ser alvo de uma gestão criteriosa e inteligente, baseada sobretudo no designado de "grau de utilização".

No caso ilustrado - Rua 31 de Janeiro -, localizada no centro histórico da cidade do Porto, onde anteriormente existia um comércio pujante, estacionamento, locais de cargas e descargas, etc., existe agora um passeio larguíssimo (face ao volume de tráfego de peões) sem qualquer utilidade, lojas fechadas, carris de um eléctrico fantasma, comerciantes desesperados a efectuarem as descargas de mercadorias com os veículos em cima do passeio (ver imagem), pavimentos a abater, etc..

Já é tempo dos políticos saberem que existe uma ciência que dá pelo nome de engenharia de Tráfego / Vias de Comunicação.


3 Comentários:

Às 13 de julho de 2009 às 12:15 , Blogger Margarida Pereira disse...

Sucede que quem planeia tal são os arquitectos, quem executa semelhante os engenheiros e quem decide a aberração, os burocratas...

 
Às 13 de julho de 2009 às 17:38 , Anonymous Anónimo disse...

....são, de facto, alguns arquitectos.....nomeadamente o conjunto "génios" seleccionados, emanação directa da FAUP, que projectaram para essa coisa chamada "Porto 2001, Capital da Cultura"

 
Às 13 de julho de 2009 às 21:50 , Blogger Nuno Carvalho disse...

Certíssimo!

Obrigado a ambos.

 

Enviar um comentário

<< Página inicial