quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

A cada vez menor importância do sector ferroviário em Portugal



«
Dos 231 milhões de viagens de comboio realizadas em 1988, passou-se para 131 milhões em 2009, uma redução de 43 por cento.
»

«
Ontem, foi retirado o serviço ferroviário regional em mais 138 quilómetros de vias-férreas, depois de, no ano passado, se terem encerrado 144 quilómetros de linhas (com a promessa de reabilitação que não aconteceu).
»

«
O número de passageiros por quilómetro percorrido) era de 6 milhões em 1988, baixou para 5,6 em 1991 e é agora de 3,7 milhões.
»

«
A quota de mercado do caminho-de-ferro no transporte de passageiros afundou-se em cerca de 66 por cento entre 1990 e 2008.
»

«
Não surpreende, assim, que nos países da Europa Ocidental Portugal seja o único que, em 20 anos, perdeu passageiros na ferrovia. É certo que a França, a Holanda e a Suíça tiveram crescimentos modestos - "só" conseguiram transportar cerca de 30 por cento mais de passageiros -, mas isso resulta de serem mercados maduros onde a tradição de andar de comboio é quase ancestral. A Grã-Bretanha, país que foi o berço do caminho-de-ferro, cresceu 53 por cento em 20 anos, a sua vizinha Irlanda 57 por cento, a Bélgica 55,2 por cento e a Alemanha 83 por cento, em parte graças à aposta em comboios de alta velocidade que são um verdadeiro luxo.
»

Fonte: Público on-line 2 Fev. 2011-02-02
Extractos de um artigo de Carlos Cipriano


Extensão da linha ferroviária – Portugal Continental - ao longo dos anos:

1910: 2898 Km
1974: 3563 Km
2006: 2839 Km
2011: 2600 Km ?


2 Comentários:

Às 3 de fevereiro de 2011 às 12:16 , Blogger Margarida disse...

Agora é o carro eléctrico...
- mas, no fundo, acho que é mais andar a pé, como estamos obesos e assim... - sendo que o assim é com falta de 'ar' nos bolsos... ;)

 
Às 4 de fevereiro de 2011 às 09:59 , Blogger Nuno Carvalho disse...

Destruir é fácil, não admira que tenhamos cada vez menor nível de vida. Inventar, conceber, ser-se criativo, conservar, ser-se digno dos nossos antepassados, na prática, é difícil.

 

Enviar um comentário

<< Página inicial